Blair sofreu "lavagem cerebral" de Bush, diz vice iraquiano

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, era favorável ao anúncio de um cronograma para a retirada das tropas estrangeiras do Iraque, mas foi convencido do contrário por uma "lavagem cerebral" do presidente norte-americano, George W. Bush, disse o vice-presidente do Iraque na terça-feira.Tareq Al Hashemi afirmou ao Conselho de Relações Exteriores, de Nova York, que há cerca de três meses conversou com Blair e o premiê britânico era favorável ao cronograma de retirada."Eu havia acabado de convencê-lo. Ele prometeu que iria discutir o assunto com o presidente Bush. É lamentável, o seu presidente [Bush] fez algum tipo de lavagem cerebral no senhor Blair."Embora defenda a adoção de prazos, Hashemi disse que a retirada deve estar condicionada ao treinamento das forças iraquianas. Blair, que esteve no domingo em Bagdá, defendeu na terça-feira sua aliança com os EUA, em resposta ao relatório de uma influente entidade britânica que o acusou de ter prejudicado a credibilidade da Grã-Bretanha no Oriente Médio ao apoiar Bush na guerra.Falando à Reuters após o discurso no Conselho de Relações Exteriores, Hashemi disse que Blair vinha tendo uma "mentalidade aberta" sobre o anúncio de prazos para a retirada. "Ele me prometeu que levaria essa mensagem ao senhor Bush e disse: ´Vou apoiar isso"´, afirmou.Hashemi disse que a apresentação de um cronograma ajudaria a conciliar as facções sunitas e xiitas. "O problema é o cronograma de retirada. Se for anunciado amanhã, o problema será abrandado. O governo norte-americano deveria estar comprometido com um cronograma condicional para a retirada do Iraque. Isso é muito importante.""Ele atribuiu as atuais tensões sectárias no Iraque à interferências externas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.