Blair supervalorizou acusações ao Iraque, dizem ex-funcionários

O primeiro-ministro Tony Blairsupervalorizou o que a Grã-Bretanha sabia sobre as armasiraquianas ao dizer antes da guerra que Saddam Husseinconstituía uma séria ameaça, disseram dois ex-funcionários dosserviços de inteligência britânico em uma entrevista que serádivulgada neste domingo. A rede BBC também disse que a agência de espionagem M16havia retirado a acusação que sustentava a afirmação britânicaanterior à guerra de que o Iraque continuava produzindo armasquímicas e biológicas. Numa transcrição de seu programa "Panorama", que irá ao ar esta noite, a BBC disse que uma "fonteconfiável" havia feito tal afirmação, mas não deu mais detalhes. De acordo com a transcrição, Brian Jones, que até o anopassado era alto funcionário do setor de inteligência doDepartamento de Defesa britânico, disse à emissora que asequipes de inteligência não sabiam se Saddam havia produzidoalgum armamento químico ou biológico depois do final da primeiraGuerra do Golfo, em 1991. O ex-funcionário disse ter ficado surpreso quando Blairafirmou antes da invasão do Iraque que Saddam possuíaefetivamente estoques dessas armas.

Agencia Estado,

11 de julho de 2004 | 18h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.