Blair tentará convencer Chirac a ir à guerra

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, tentará amanhã convencer o presidente francês, Jacques Chirac, da necessidade do uso da força para derrubar o regime do líder iraquiano, Saddam Hussein. Ele se reúne com Chirac em Le Toquet, no norte da França, para tratar de problemas bilaterais numa tradicional cúpula anual - que deveria ter sido realizada em dezembro, mas acabou adiada por sérios desentendimentos sobre a política agrícola da União Européia.A crítica de Londres ao congelamento de subsídios agrícolas adotado, de comum acordo, por França e Alemanha aumentaram a irritação de Chirac em relação a Blair - apontado como principal aliado do presidente americano, George W. Bush, que exige uma dura ação contra Saddam.Chirac acha que uma decisão de ir à guerra deve ser adotada no âmbito do Conselho de Segurança da ONU. E, nesse sentido, conta com o apoio de seu colega alemão, Gerhard Schroeder.Sob pressão da opinião pública britânica (majoritariamente contrária ao envolvimento do país numa operação militar de envergadura), Blair esteve em Washington na semana passada e aconselhou Bush a adiar seus planos e concentrar seus esforços na obtenção de um consenso na ONU.Antes de se dirigir à Casa Branca, Blair manteve demorada conversa por telefone com Chirac. A nova estratégia do primeiro-ministro britânico (que contrariou visivelmente Bush) teria agradado Chirac.Em resposta, Chirac, no encontro de amanhã, estaria inclinado a reduzir sua posição intransigente e, até mesmo, segundo fontes diplomáticas, a dar uma espécie de ultimato a Saddam - desde que convencido por Blair de que o líder iraquiano realmente esconde armas de destruição em massa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.