Blair vai atrás e também defende paz entre Israel e palestinos

Poucos minutos depois que o presidente George W. Bush fez seu pronunciamento anunciando que a paz será dada a israelenses e palestinos, o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, foi atrás e disse que o plano de paz para o Oriente Médio deve criar um Estado palestino independente e viável e encerrar a violência na região. Blair disse que os trabalhos envolvendo o acordo de paz podem ser iniciados na próxima semana. Blair tem pedido aos Estados Unidos que usem sua influência em Israel para conseguir um acordo de paz, a fim de demonstrar que as intenções do Ocidente são positivas e buscam a paz. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.