Blair volta a defender aliança contra terrorismo

O primeiro-ministro britânico Tony Blair, em entrevista concedida esta manhã, anunciou a convocação do parlamento para a próxima sexta-feira. Blair disse também que as medidas de segurança, implementadas no país desde ontem, vão continuar em vigor, como ato de precaução. Ele disse que o mercado financeiro está funcionando quase normalmente no Reino Unido. O líder britânico informou que manteve contato com as principais lideranças européias para discutir maneiras de se apoiar os Estados Unidos e enfrentar essa nova conjuntura internacional. Blair disse que todos os líderes concordaram que o ataque de ontem não foi apenas contra os Estados Unidos, mas contra todos os países democráticos. Ele reiterou declarações feitas ontem, de que é necessário uma aliança entre todos os países democráticos para se enfrentar e erradicar o terrorismo internacional. "Agora nós conhecemos todo o potencial diabólico do terrorismo e vamos enfrentá-lo". Blair disse também que entre as vítimas estão pessoas de várias nacionalidades, inclusive "muitos britânicos". "Isso torna ainda mais forte a constatação de que se tratou de um ataque contra todos nós, não apenas contra alguns prédios americanos". O primeiro-ministro evitou comentar quem são os principais suspeitos da autoria dos ataques e disse que os EUA tomarão as medidas que considerar apropriadas. Também afirmou que os países aliados manifestão seu apoio para "enfrentar rapidamente esses seus inimigos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.