Blecaute deixa mais de 57 milhões de italianos sem luz

Mais de 57 milhões de italianos - todo o país, com exceção da Sardenha - ficaram sem luz a maior parte do domingo, num incidente qualificado pelas autoridades locais como o maior apagão dos últimos dez anos. Os responsáveis italianos pela distribuição da energia elétrica descartaram qualquer possibilidade de sabotagem ou terrorismo e responsabilizaram empresas fornecedoras da França e da Suíça, embora reconhecendo que sua rede é obsoleta e apresenta falhas.Cerca de 13% da energia consumida pelos italianos provém do exterior. A Itália é o maior importador de eletricidade da Europa. O fornecimento foi interrompido de madrugada, paralisando trens, metrô, aeroportos, elevadores. Pelo menos 130 trens circulavam naquele momento por diversos pontos do país. A empresa ferroviária italiana estima que 30 mil passageiros ficaram retidos nos vagões."Com exceção de duas idosas que morreram em conseqüência de quedas na escuridão, não registramos outros incidentes graves", informou Guido Bartolaso, chefe da Defesa Civil. Nos aeroportos de Roma, Milão e outras grandes cidades, muitos vôos tiveram de ser cancelados. Geradores permitiram o funcionamento das torres de controle e iluminaram as pistas e alas destinadas aos passageiros.Oito horas depois do apagão, a energia elétrica foi restabelecida em Roma e em todo o norte do país. O problema persistia no sul, principalmente na Sicília. A situação voltou ao normal em todo o país no fim da tarde, segundo informou o ministro da Indústria italiano, Antonio Marzano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.