Blindados brasileiros são encontrados em Sirte

No local também havia bombas, munições, foguetes e armas leves; arsenal é antigo e está sem condições de uso

ROBERTO GODOY, O Estado de S.Paulo

23 Setembro 2011 | 03h02

De novo, e desta vez nos arredores de Sirte, cidade natal de Muamar Kadafi, estoques de equipamento militar fabricado no Brasil foram encontrados pelas tropas do governo provisório da Líbia. Segundo o relatório da Liga para os Direitos Humanos, divulgado ontem, havia farto material no abrigo. O documento lista cerca de 12 blindados Cascavel, armados com canhão de 90 mm. caixas de munição para essa peça de artilharia e bombas ar-terra. Há ainda foguetes de 70 mm para serem disparados por aviões, propelentes e explosivos. No local, os combatentes encontraram granadas e pistolas, além de milhares de projéteis. Em um prédio anexo, estavam armazenados peças e componentes, provavelmente para a manutenção dos blindados.

 

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

 

O Brasil vendeu 400 EE-9 Cascavel e 40 EE-11 Urutu, de transporte, para Muamar Kadafi. Os veículos, produzidos pela extinta Engesa, tiveram batismo de fogo na guerra entre Líbia e Egito, em julho de 1977.

Todo o material localizado em Sirte é antigo, sem condições de uso. As bombas e os foguetes saíram das linhas da Avibrás Aeroespacial entre 1975 e 1981. O armamento leve é mais recente, exportado a partir de 2005 para servir basicamente à estrutura policial. Cada Cascavel custava US$ 300 mil. O Urutu, na versão básica, saía por US$ 180 mil. Só esses negócios significaram, na época, US$ 192 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.