Blix põe evidência de Powell em dúvida

Durante sua apresentação desta tarde perante o Conselho de Segurança (CS) das Nações Unidas, o inspetor-chefe da ONU para armas químicas e biológicas, Hans Blix, pôs em dúvida as provas de que o governo iraquiano estaria agindo de má-fé para com os inspetores, apresentadas na semana passada pelo secretário de Estado dos EUA, Colin Powell.O chefe dos inspetores para armas nucleares, Mohamed El-Baradei, afirmou depois que nenhuma evidência de que o Iraque tenha retomado seu programa de armas nucleares, e que os inspetores não precisam da cooperação irrestrita dos iraquianos para terminar o trabalho. ?A experiência da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) em verificação nuclear mostra que é possível, particularmente com um sistema de verificação intrusivo, avaliar a presença ou ausência de um programa de armas nucleares num Estado mesmo sem a cooperação total do Estado inspecionado?.Os inspetores falaram na reunião do CS que poderá determinar se os EUA terão ou não apoio da ONU para uma campanha militar contra o Iraque.Falando sobre uma das evidências exibidas por Powell, Blix disse: ?A movimentação de munições citada no local pode tanto ter sido uma atividade de rotina? quanto algo orquestrado para esconder armas antes das inspeções. Estados Unidos e o Reino Unido aguardavam a apresentação de hoje dos inspetores antes de decidir se deveriam apresentar uma proposta de resolução que viria simplesmente autorizar uma ação militar ou a declarar o Iraque em ?flagrante violação? de suas obrigações perante a ONU - algo que Washington e Londres consideram suficiente para justificar um ataque. Diplomatas britânicos disseram que a proposta pode ser apresentada amanhã.

Agencia Estado,

14 de fevereiro de 2003 | 15h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.