Blix promete relatório "equilibrado", segundo a CNN

O chefe dos inspetores de armas da ONU, Hans Blix, pretende entregar amanhã um relatório "equilibrado" sobre o Iraque ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, disse fonte presente ao encontro entre Blix e os comissários da equipe de inspetores de armas, ouvida pela CNN. A informação contraria as especulações que circulam nos mercados internacionais, de que Blix fará uma apresentação desfavorável ao Iraque. Segundo a agência Dow Jones, o site latimes.com informou que Blix deve dizer ao CS da ONU que o regime de Saddam Hussein não está cumprindo totalmente com a promessa de desarmamento, citando fonte não-identificada das Nações Unidas. O encontro de Blix com os comissários da equipe de inspetores citada pela CNN ocorreu ontem, dois dias antes da segunda apresentação de sua avaliação sobre os trabalhos no Iraque. De acordo com a fonte ouvida pela CNN, Blix expressou preocupação com o fato de as informações favoráveis ao Iraque estarem sendo ignoradas pela mídia e "outros grupos". Hans Blix considera ainda preliminar o relatório que apresentará amanhã ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, disse à CNN a fonte. Blix acredita que a avaliação sobre as inspeções a ser feita em março será mais conclusiva. Blix teria ainda se mostrado preocupado com sua responsabilidade em identificar os aspectos positivos e negativos em seu relatório. Mas "ao ser equilibrado, não indica que ficarei em cima do muro", teria afirmado Blix, de acordo com a fonte da CNN.Blix teria designado uma equipe internacional para confirmar ou rejeitar as informações sobre mísseis de longo alcance encontrados no Iraque por seus peritos, diz a CNN. Ontem, uma fonte diplomática do Conselho de Segurança disse que um dos mísseis, o Al Samoud 2, possui alcance superior ao permitido. Blix está preocupado com a perspectiva de tal descoberta ser declarada prova material de violação das resoluções da ONU e com a possibilidade de abrir caminho para uma ação militar contra o Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.