Bloco xiita suspende participação no governo iraquiano

Legisladores e ministros iraquianos leais ao clérigo anti-EUA Muqtada al-Sadr suspenderam sua participação no parlamento e no governo para protestar contra a reunião entre o premier Nouri al-Maliki e o presidente americano, George W. Bush. Uma declaração publicada nesta quarta-feira por 30 parlamentares e seis ministros do gabinete iraquiano classifica a ação como necessária, uma vez que o encontro constitui uma "provocação aos sentimentos dos iraquianos e uma violação de seus direitos constitucionais". Maliki já está em Amã, onde deverá se encontrar com Bush, que chegará à Jordânia na tarde desta quarta-feira. No encontro, os dois líderes discutirão formas de acabar com a violência que arrasta o Iraque para uma guerra sectária sem precedentes. Os seguidores de Sadr haviam ameaçado deixar o governo e o parlamento caso Maliki concretizasse seu encontro com Bush. Ao "rebaixarem" seu protesto para uma suspensão temporária de seus cargos, os políticos deixaram em aberto a possibilidade de retornarem a seus cargos no futuro. A manobra, assim como seu timing, foi uma forma de enfraquecer Maliki durante o encontro com Bush, num encontro que prometia ser o round mais importante das negociações entre os Estados Unidos e o Iraque desde a queda de Saddam Hussein, em 2003. O apoio do bloco fiel à Sadr no Parlamento foi crucial para a eleição de Maliki na eleição do primeiro-ministro no início do ano. Para muitos, o apoio recebido por Maliki é um dos motivos que imobilizam uma ação do governo contra o Exército Mahdi, milícia fiel à Sadr que se estima estar por trás de muitos dos atos de violência sectária que atinge o Iraque.

Agencia Estado,

29 Novembro 2006 | 13h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.