Blogueiras mostram ''outro lado'' de Gaza

Um grupo de blogueiras palestinas supera as barreiras do embargo israelense e o conservadorismo da sociedade e aproveita a liberdade da internet para contar - com a própria voz - o que acontece na Faixa de Gaza. São jovens que aproveitam as redes sociais para, por meio de seus relatos pessoais e vídeos, contestar o que consideram "a versão única dada pela imprensa ocidental" sobre a situação no território palestino.

Talita Eredia, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2011 | 00h00

"A imprensa foca a tragédia humanitária em Gaza. É claro que pessoas estão morrendo, que isso é parte da nossa realidade, mas quero mostrar que não estamos passivos, implorando por ajuda humanitária. É claro que precisamos de solidariedade, mas existem pessoas que trabalham pelo país e buscam crescimento", diz a estudante de administração e ativista política Rana Baker, de 19 anos. Além do blog Palestine (www.ranabaker.wordpress.com), a jovem atua num grupo que trabalha pelo boicote de produtos israelenses.

A palestina Sameeha Elwan, professora-assistente da Universidade Islâmica de Gaza, é autora do autora do Here, I was Born (www.sameeha88.wordpress.com) e acredita que as experiências mais simples de quem vive no território palestino são as mais significativas. "São coisas como a falta de eletricidade ou de dentistas que mostram como somos privados de direitos essenciais pela ocupação".

Todas escrevem em inglês, considerado por elas um idioma global, para atingir leitores do mundo todo. Apesar de receberem alguns comentários ofensivos, nenhuma delas têm medo de escrever.

"Acredito que a internet pode mudar a realidade dos palestinos e ajudar na criação do país. Com blogs e Twitter, quebramos a exclusividade de quem conta a história. Temos a chance de ser nossa própria voz, e isso era inimaginável há 15 anos. A internet certamente é uma ferramenta de informação independente. É como contamos a nossa história sem intermediários. Assim, conseguimos mais atenção para a nossa causa", afirma a professora de inglês Lina Sharif, de 22 anos, autora do blog Live from Gaza (www.livefromgaza.wordpress.com).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.