Blogueiro contrário extremismo é morto a facadas em Bangladesh

O blogueiro norte-americano Avijit Roy, nascido em Bangladesh, foi atacado e morto a facadas quando caminhava com sua mulher pela capital do país asiático, informou a polícia. O ataque aconteceu na noite de quinta-feira numa movimentada calçada de Daca, quando Roy e sua mulher, Rafida Ahmed, voltavam de uma feira de livros realizada na Universidade de Daca.

Estadão Conteúdo

27 de fevereiro de 2015 | 09h57

Ahmed, que também é blogueira, ficou seriamente ferida. Trata-se do mais recente de uma série de ataques contra escritores seculares em Bangladesh nos últimos anos.

Um grupo militante anteriormente desconhecido, o Ansar Bangla 7, assumiu a responsabilidade pelo ataque, informou o comissário assistente de polícia S.M. Shibly Noman ao jornal Prothom Alo. Roy "era o alvo por causa de seu crime contra o Islã", escreveu o grupo no Twitter.

Roy era uma importante voz contra a intolerância religiosa. Familiares e amigos disseram que ele vinha recebendo ameaças por causa de seus textos.

Por volta de 20h45 de quinta-feira, um grupo de homens emboscou o casal, que andava na direção de uma barraca de rua que vende chá. Segundo o chefe de polícia Sirajul Islam, pelo menos dois cutelos foram usados na ação. O grupo que atacou o casal fugiu, desaparecendo em meio à multidão.

Bangladesh, país de 160 milhões de habitantes e de maioria muçulmana, não é conhecido pelo extremismo islâmico, mas nos últimos anos tem registrado uma série de ataques, provavelmente realizados por militantes.

As divergências entre blogueiros seculares e grupos islâmicos conservadores - muitas vezes ligados secretamente a partidos islâmicos - têm aumentado. Os secularistas pedem que as autoridades proíbam a política que tenha como base a religião, enquanto os islamitas querem a aprovação de leis que protejam sua fé.

O Islã é a religião oficial de Bangladesh, mas o país é governado por leis seculares baseadas no direito comum britânico. A primeira-ministra Sheikh Hasina declarou várias vezes que não vai ceder ao extremismo religioso.

Roy fundou um popular blog em língua bengali, o Mukto-mona, ou Mente Livre, que publica artigos científicos e sobre religião. A página na internet aparentemente saiu do ar após o ataque. Em janeiro, Roy defendeu o ateísmo num post no Facebook, chamando a ideia de "um conceito racional que se opõe a qualquer crença não científica e irracional".

Anujit Roy, irmão mais novo do blogueiro, disse que Roy havia chegado ao país no início deste mês, mas que planejava voltar aos Estados Unidos em março.

Em 2013 outro blogueiro, Ahmed Rajib Haider, que também era contrário ao extremismo religioso, foi morto por um grupo de homens nas proximidades de sua casa, em Daca. Em 2004, Humayun Azad, importante escritor e professor da Universidade de Daca, ficou seriamente ferido ao ser atacado quando voltava da mesma feira de livros realizada na Universidade da capital.

Baki Billah, amigo de Roy e também blogueiro, disse à Independent TV que Roy já havia sido ameaçado por pessoas irritadas com seus textos. "Ele era um livre pensador. Ele era hindu, mas não era uma voz forte apenas contra fanáticos islâmicos, mas contra fanáticos de outras religiões também", afirmou. "Estamos tristes. Não sabemos o que o governo fará para encontrar os assassinos. Queremos justiça", disse Billah. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.