Blogueiro egípcio é preso por criticar o Exército

Um tribunal militar egípcio condenou um blogueiro por insultar o Exército, porque que ele publicou relatos de abusos cometidos pelo militares, e o sentenciou a três anos de prisão, informaram grupos de direitos humanos hoje.

AE, Agência Estado

11 de abril de 2011 | 18h20

O tribunal militar emitiu a sentença contra Maikel Nabil Sanad, de 26 anos, ontem, sem a presença de seus advogados, segundo comunicado divulgado por sete grupos de direitos humanos sediados no Cairo.

Foi o primeiro julgamento de um blogueiro pelos governantes militares, que tomaram o poder depois da queda do ex-presidente Hosni Mubarak, em 11 de fevereiro, que renunciou após 18 dias de levante popular.

Os advogados de defesa disseram que a sentença tem sérias implicações para a liberdade de expressão no Egito pós-Mubarak e pode estabelecer um precedente para qualquer um que queira expor crimes e abusos cometidos pelos militares.

O major-general Mohammed al-Assar, membro do conselho militar, disse hoje à emissora privada de televisão ONTV que as forças armadas estão abertas a críticas - até certo ponto. "Há uma diferença entre críticas bem-intencionadas elaboradas por um cidadão, um jornalista ou um radialista, que tem como objetivo o bem público", disse ele. "O problema é questionar as intenções (do Exército)". As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoblogueiroprisãoprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.