Blogueiros cubanos também estão sob ameaça

Há seis anos, quando foram presos em Cuba 75 jornalistas e opositores, era difícil imaginar que novas vozes independentes pudessem desafiar o governo da ilha. Por isso, impressiona a vibrante cultura de blogueiros que surgiu no país. Segundo um relatório divulgado ontem pelo Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ) em Nova York, há hoje pelo menos 25 blogs independentes transmitindo notícias de Cuba. Outros 75 tem um enfoque mais pessoal.

Ruth Costas, O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2009 | 00h00

O argentino Carlos Lauria, autor do documento, porém, faz um alerta: "Ainda estão na prisão jornalistas presos em 2003. Então, não dá para descartar que também haja uma investida contra os blogueiros", disse Lauria ao Estado. "Alguns, de fato, já foram chamados para prestar depoimento."

Os blogueiros não se intimidam e divulgam seus nomes e sobrenomes. Ontem, dezenas participaram do primeiro concurso de blogs cubanos, em Havana. Segundo o relatório do CPJ, o fato de o governo não ter fechado o cerco contra os blogs, como fez com os jornalistas há seis anos, é atribuído a três fatores.

Primeiro, uma parcela pequena da população tem acesso à internet e a repercussão dos blogs é maior fora do que dentro da ilha. Segundo, por serem mais velhos, as autoridades locais "não entendem" o fenômeno. Por fim, há o fato de os blogs evitarem a confrontação política aberta, tratando mais de problemas sociais e econômicos. "Anos de doutrinamento ideológico provocaram uma aversão à política nas gerações mais jovens", diz Lauria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.