Bloqueios de estradas ameaçam paz na Colômbia

Milhares de camponeses bloquearam as principais estradas do nordeste da Colômiba nesta sexta-feira em protesto contra os planos do presidente Andrés Pastrana de abrir conversações de paz e ceder território para o Exército de Libertação Nacional (ELN), segundo mais importante grupo guerrilheiro da Colômbia. Pastrana ameaçou recuperar à força o controle das estradas se o governo descobrir que forças paramilitares de direita estão por trás das manifestações. "Não vamos permitir que um grupo, como o dos paramilitares, paralise o país", disse o presidente colombianao aos repórteres. Cerca de 20 mil moradores da região aderiram aos protestos, que completam hoje seu segundo dia consecutivo, informou o chefe da polícia rodoviária, general Alvaro Velandia. Cinco diferentes pontos de bloqueio estão impedindo a circulação entre a costa caribenha e o resto da Colômbia, mas os protestos têm sido pacíficos. O Comissário da Paz Camilo Gómez foi enviado pelo governo à região para tentar acabar com os protestos. Ao mesmo tempo, em Genebra, na Suíça, as Nações Unidas expressaram hoje sua "profunda preocupação" pelo assassinato, ontem, na Colômbia de um ativista dos direitos humanos, Ivan Villamizar.

Agencia Estado,

16 de fevereiro de 2001 | 17h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.