Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Boatos levam força internacional a erguer barreiras nas estradas do Timor

Boatos de que milhares de manifestantes iriam a Díli, capital do Timor Leste, para exigir a renúncia do primeiro-ministro, Mari Alkatiri, levaram tropas da Austrália e da Malásia a montar, por precaução, controles em várias estradas do país.As forças malaias estabeleceram os controles nas entradas ocidentais, por onde 50 caminhões carregados de manifestantes estariam se dirigindo à capital. As tropas australianas controlam a estrada próxima ao aeroporto.Os boatos sobre uma manifestação em massa têm se repetido insistentemente nos últimos dias. Em Díli aconteceram pilhagens e incêndios, porém em menor número que nas semanas anteriores.O Parlamento do Timor Leste, que se reuniu na segunda-feira pela primeira vez desde o início da onda de violência no fim de abril, aprovou medidas de emergência anunciadas pelo presidente, Xanana Gusmão.Vitória de GusmãoOs 50 parlamentares reunidos no Parlamento se pronunciaram a favor do estado de emergência decretado em maio por Gusmão, que dá a ele pleno controle sobre as forças de segurança do Estado e permite que declare estado de sítio, caso seja necessário. A medida entrou em vigor em 31 de maio e pode ser prorrogada de acordo com a evolução do conflito.O Parlamento timorense é dominado pelo Fretilin, o histórico partido da luta pela independência, com 55 cadeiras, enquanto o restante do Legislativo se divide entre vários partidos de oposição.O resultado da votação é uma vitória de Gusmão, pois garantea ele ascendência sobre o primeiro-ministro, Mari Alkatiri, presidente do Fretilin, apontado como responsável pela atual crise na ex-colônia portuguesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.