Boca-de-urna: Alan García deve ser eleito presidente do Peru

O candidato do Partido Aprista Peruano (PAP), Alan García, deve ser o novo presidente do Peru, segundo as primeiras sondagens de boca-de-urna divulgadas após o fechamento das urnas, às 16 horas locais (18 horas em Brasília). Cerca de 16,5 milhões de peruanos foram convocados para votar no segundo turno das eleições presidências deste domingo.De acordo com o levantamento do Instituto Apoyo, 52,8% dos eleitores peruanos votaram no ex-presidente, enquanto 47,2% optaram pelo candidato nacionalista da coligação União Pelo Peru, Ollanta Humala. Devido a pequena diferença, ainda não é possível confirmar a vitória do ex-presidente. Os resultados da pesquisa de boca-de-urna da Datum Internacional dão a García 54,9% dos votos, e a Humala, 45,1%. Já na sondagem da empresa Peruana de Opinião Pública (POP), o candidato aprista teve 55% dos votos, e o nacionalista, 45%.O Escritório Nacional de Processos Eleitorais (Onpe) deve anunciar o resultado parcial do pleito às 20 horas locais (22h em Brasília), depois que pelo menos 50% dos votos estejam apurados. Segundo a entidade, pelo menos 95% dos votos estarão contabilizados já na segunda-feira.Ao comentar o resultado das pesquisas, o secretário geral do Partido Aprista Peruano (PA), Jorge del Castillo, ressaltou a necessidade de se esperar a divulgação dos resultados oficiais com "tranqüilidade". "Ganhe quem ganhar, o que devemos buscar são os mecanismos que levem à democracia; este é um momento de serenidade", disse.Margem de erroEmbora a vitória de García esteja sendo dada como certa, o candidato à vice-presidência pela chapa de Humala, Gonzalo García Nuñez, lembrou que as pesquisas de boca-de-urna contam com uma margem de erro de 5%. Por isso, acrescentou, a coligação União Pelo Peru aguardará com calma pelos resultados oficiais."Devemos esperar com tranqüilidade e calma a apuração dos votos", disse o candidato após a divulgação das pesquisas.Além de reforçar a posição de Nuñez, o porta-voz de Humala, Carlos Tapia, adiantou que os nacionalistas respeitarão a decisão das urnas. Lourdes Flores A líder conservadora Lourdes Flores, que concorreu ao pleito no primeiro turno, pediu a seus compatriotas "respeito" pelo vencedor do pleito.A ex-candidata da aliança Unidade Nacional destacou que a vitória só deve ser anunciada depois de divulgados os resultados oficiais da votação.Flores acrescentou que o Peru está diante da possibilidade de "construir oportunidades para todos" e que os partidos opositores deverão vigiar para que os direitos dos cidadãos sejam respeitados. Segundo a ex-candidata, o vencedor deve saber que "existem forças maduras, democráticas e sérias" na oposição. No primeiro turno das eleições, que aconteceu no dia 9 de abril, a Unidade Nacional obteve 17 das 120 cadeiras do Congresso unicameral peruano. Enquanto isso, a União Pelo Peru, de Humala, ocupará 45 postos e o Partido Aprista Peruano, de García, 36. Lourdes perdeu a disputa pelo segundo lugar no primeiro turno para Alan García por uma diferença de apenas 64 mil votos.Votação tranqüilaAs urnas foram fechadas dentro do horário previsto após oito horas de votação sem incidentes relevantes, informou o chefe interino da missão de observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA), o ex-chanceler argentino Rafael BielsaO processo eleitoral se deu "dentro da normalidade, apesar de questões menores, como pequenas violações da Lei Eleitoral ou alguma mesa de votação que tenha se atrasado para abrir", disse Bielsa à rádio CPN.Com o término da votação, uma multidão reuniu-se em frente à sede do Partido Aprista, em Lima, onde o ex-presidente García (1985-90) deve dar as primeiras declarações públicas após a divulgação dos primeiros resultados oficiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.