Boca de urna dá vitória à oposição no México

Calderón admite derrota, que dificultará seus planos de aprovar reformas econômicas

AP, AFP, Efe e Reuters, CIDADE DO MÉXICO, O Estadao de S.Paulo

06 de julho de 2009 | 00h00

O opositor Partido Revolucionário Institucional (PRI) saiu vitorioso nas eleições de meio de mandato realizadas ontem no México, de acordo com pesquisas de boca de urna da rede de TV Televisa. O presidente Felipe Calderón admitiu a derrota de seu Partido da Ação Nacional (PAN), que frustrará seus planos de aprovar reformas econômicas para tirar o país da recessão, agravada com o prejuízo do turismo após a gripe suína. Segundo as pesquisas, o PRI - que manteve hegemonia no Congresso durante sete décadas, até 1997 - obteve 40% dos votos, enquanto o PAN conseguiu 29%. O esquerdista Partido da Revolução Democrático (PRD) teve 15% dos votos, enquanto o Partido Verde e o do Trabalho obtiveram 6% e 4%, respectivamente.APURAÇÃOCom apenas 25% das urnas apuradas, dados oficiais mostravam o PRI com 35% dos votos e PAN com 25% e o PRD com 12%.Sofrendo com uma onda de violência provocada pelo narcotráfico e uma severa crise econômica, os mexicanos foram às urnas eleger seis governadores, centenas de prefeitos e mais de 500 deputados. A votação, segundo autoridades eleitorais, foi tranquila. Apesar de ser de meio de mandato, a eleição teve uma importância significativa, pois da vitória do PAN dependiam as aprovações das reformas propostas por Calderón. O México vive a pior recessão econômica desde 1994, com quase metade de seus 103 milhões de habitantes na pobreza. O governo temia que a abstenção fosse alta, já que o voto não é obrigatório e a população ainda teme locais fechados por causa da gripe suína. Segundo pesquisas, só um terço dos 77 milhões de mexicanos habilitados a votar sairia de casa. Analistas previam que a participação seria menor do que nas eleições legislativas de 2003, quando 42% dos eleitores votaram. Na Cidade do México e arredores, o comparecimento foi baixo, segundo funcionários das sessões eleitorais. Em Ciudad Juárez, apenas 20% dos eleitores foram votar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.