Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Boca-de-urna dá vitória a opositor na Coréia do Sul

Apesar das acusações de corrupção, conservador Lee Myung-bak deve ser o próximo presidente do país

Agências internacionais,

19 de dezembro de 2007 | 09h02

As primeiras pesquisas de boca-de-urna divulgadas nesta quarta-feira, 19, dão 50,3% dos votos ao candidato favorito às eleições presidenciais sul-coreanas, o conservador Lee Myung-bak, segundo a rede de televisão pública KBS.   A percentagem é sensivelmente maior que o previsto pelas pesquisas anteriores às eleições, de aproximadamente 40%, um dado que indica que os sul-coreanos não se deixaram influenciar pelassuspeitas de corrupção que pesam sobre o político.   O principal candidato nas eleições presidenciais na Coréia do Sul, o opositor Lee Myung-bak, afirmou na terça-feira que era inocente das acusações de fraude financeira. Sua campanha sofreu um revés na segunda, quando o Parlamento aprovou uma investigação independente. Centenas de pessoas protestaram contra Lee e pediram que ele deixasse a disputa.   Com base em 50 mil entrevistados, a sondagem aponta 26% dos votos ao liberal Chung Dong-young, do Novo Partido Democrático Unido.   Os colégios eleitorais da Coréia do Sul fecharam às 18h (7h em Brasília), após permanecerem 12 horas abertos para que os sul-coreanos elegessem seu próximo presidente, que substituirá o socialista Roh Moo-hyun.   Uma hora antes do fechamento dos colégios, a participação era de 57,6%, muito abaixo dos 64,5% registrados nas eleições de 2002. Não foram registrados incidentes graves durante a votação, mas dois idosos, de 65 e 72 anos, e um homem de 54 morreram após desmaiarem na sessão eleitoral.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesCoréia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.