Boca-de-urna: redes de TV apontam vitória do Kadima

As projeções divulgadas pelas três principais emissoras de TV israelenses apontam o primeiro-ministro interino, Ehud Olmert, do Kadima, como o vencedor das eleições. Contudo, segundo os levantamentos, o partido não terá maioria absoluta no Knesset, o parlamento israelense. O Partido Trabalhista, de centro-esquerda, provável escolha para uma coalizão com o Kadima, aparece em segundo lugar. O Likud, que manteve o poder por três décadas, ficou bem atrás segundo as pesquisas, divulgadas assim que a votação encerrou. Segundo as projeções, o Kadima ganhou entre de 29 a 32 assentos no Parlamento, do total de 120. O Trabalhista ficou com de 20 a 22 e o Likud com de 11 a 12 cadeiras. Caso as pesquisas sejam confirmadas, Olmert deve formar uma coalizão com o Partido Trabalhista para executar seu plano de definir unilateralmente as fronteiras israelenses até 2010. Dois partidos menores surpreenderam, segundo as pesquisas. O Beitenu, partido de direita que exige a reforma das fronteiras de Israel para excluir os árabes israelenses, ganhou entre 12 e 14 assentos, aparecendo em terceiro lugar. O partido, fundado pelo ex-membro do Likud Avigdor Liberman possuía apenas duas cadeiras no Knesset. O Partido dos Aposentados, sem representantes na antiga formação do parlamento, ganhou entre 6 e 8 assentos. Segundo membros do Kadima, o partido é um parceiro natural para uma coalizão com Olmert.

Agencia Estado,

28 Março 2006 | 17h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.