BoE cobra mais ação para recuperação do Reino Unido

A economia do Reino Unido está em recuperação, mas os formuladores de políticas precisavam fazer mais para levantar o crescimento, disse neste domingo, 19, o presidente do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em ingles), Mervyn King. "Estamos vendo uma retomada. Mas é apenas modesta e certamente não podemos ficar satisfeitos com ela", disse ele em entrevista ao canal Sky News.

LUCIANA ANTO, Agência Estado

19 de maio de 2013 | 09h17

A economia do Reino Unido cresceu 0,3% entre janeiro e março e o BOE espera que cresça 0,5% no segundo trimestre, de acordo com estimativas divulgadas na quarta-feira, 15.

King, que deixa o cargo em junho depois de 10 anos à frente do BoE, disse que com a expansão da economia melhorando e com a inflação em desaceleração, os agentes de políticas precisam fazer mais para garantir maior uso da capacidade da economia - as fábricas ociosas e trabalhadores desempregados.

O BOE tem mantido os juros num nível baixo recorde de 0,5% por mais de quatro anos e comprou, desde 2009, 375 bilhões de libras (US$ 573 bilhões) de títulos do governo do Reino Unido com dinheiro novo, um estímulo conhecido como relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino UnidoBOE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.