Boeing estuda parceria com Rússia

A fabricante de aviões norte-americana Boeing informou hoje que estuda um plano de cooperação com a indústria de espaço aéreo russa para desenvolver um novo jato regional. A aeronave seria montada na Rússia e vendida lá e no exterior. Com o anúncio, a empresa quer brigar mais neste mercado com as duas líderes, a canadense Bombardier e a brasileira Embraer. De acordo com o presidente da Boeing, Phil Condit, o crescimento do mercado de jatos regionais deve-se à demanda que existe por aeronaves mais rápidas e leves, que possam fugir das rotas congestionadas.O projeto faz parte de um pacto de cooperação maior entre a empresa e a Agência Russa de Espaço e Aviação, assinado há duas semanas. "Os russos estão interessados na produção de um jato regional e nós estamos explorando esta área", disse Condit. No entanto, ele descartou a possibilidade de a empresa comprar ou assinar algum acordo com uma empresa da região. "Trazer um novo parceiro não seria uma boa coisa", afirmou. A Rússia conta com duas empresas que desenvolvem jatos regionais, a Yakovlev e a Tupolev, que estão em péssimas condições financeiras desde o fim da União Soviética.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.