Rohhollah Vadati/ISNA/AFP
Rohhollah Vadati/ISNA/AFP

Boeing ucraniano com 176 passageiros a bordo cai após decolar no Irã

De acordo com oficial do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, não há sobreviventes

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2020 | 00h37
Atualizado 16 de janeiro de 2020 | 15h12

Um avião Boeing 737 com 176 passageiros de sete países caiu após decolar do aeroporto Imam Khomeini, na capital do Irã, Teerã, na madrugada desta quarta-feira, 8. De acordo com informações preliminares, o avião caiu por problemas técnicos. 

A aeronave voaria do aeroporto Imam Khomeini para Kiev, capital da Ucrânia, informou o diretor de relações públicas da empresa que administra o aeroporto, segundo a agência de notícias iraniana Fars News. 

Toda a tripulação e todos os passageiros a bordo do avião morreram, informou à agência Reuters um oficial do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, citando informações da companhia aérea responsável pelo voo. A maioria das vítimas é do Irã.

O jornalista Bahman Kalbasi, correspondente da BBC Persian Service, postou um vídeo que registraria o momento em que o Boeing caiu. Ao final, é possível ver uma explosão.

A agência de notícias Tasnim News também postou um vídeo com o que seria o cenário da queda do avião. Nas imagens, destroços pegam fogo.

O avião pertencia à companhia ucraniana UIA. De acordo com o porta-voz de emergência do Irã, Moytaba Jaledí, dez ambulâncias foram enviadas para o local do incidente, entre as cidades de Shahed e Parand.

A fabricante Boeing enfrenta uma profunda crise após duas reivindicações de seu modelo estrela, o 737 MAX, que causou 346 mortes e cuja produção está congelada.

O acidente de avião mais grave do Irã ocorreu recentemente em fevereiro de 2018, quando um ATR-72 da companhia aérea iraniana Aseman caiu em uma área montanhosa do centro do Irã, matando 59 passageiros e seis membros da tripulação viajando a bordo. /Reuters, AFP e EFE.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.