REUTERS / Jose Miguel Gomez
REUTERS / Jose Miguel Gomez

Bogotá acusa Caracas de invadir seu espaço aéreo

Colômbia diz que dois aviões militares da Venezuela sobrevoaram o país sem autorização e afirma que pedirá explicações ao governo venezuelano

O Estado de S. Paulo

13 Setembro 2015 | 17h03

BOGOTÁ - A Colômbia afirmou neste domingo, 14, que dois aviões militares da Venezuela ingressaram em seu espaço aéreo e disse que pedirá explicações a Caracas, reforçando as tensões diplomáticas após o fechamento da fronteira ordenado pelo presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

O Ministério da Defesa colombiano afirmou, em um comunicado oficial, que as duas aeronaves militares ingressaram sábado à tarde no espaço aéreo colombiano e sobrevoaram uma região no Departamento de Guajira, incluindo uma unidade do Exército. As autoridades venezuelanas não comentaram de imediato a denúncia da Colômbia. 

Segundo o Ministério, “inicialmente as duas aeronaves militares venezuelanas ingressaram 2,9 quilômetros dentro do espaço aéreo colombiano, sobrevoando a região de Majayura; perdendo-se rapidamente em direção a Castilletes”. 

Majayura é um casario de Maicao, município colombiano de La Guajira na fronteira com a Venezuela, enquanto Castilletes é um ponto mais ao norte que estabelece o marco número um da fronteira comum.

A poucos quilômetros do perímetro urbano de Maicao está a passagem fronteiriça de Paraguachón, fechado há uma semana por ordem do presidente  Maduro.

O incidente acontece em um período de tensão na relação bilateral que começou no  dia 19 com a ordem de Maduro de fechar passagens fronteiriças com a Colômbia sob o argumento de combater o narcotráfico e supostos paramilitares.

Além de fechar a fronteira entre o Estado venezuelano de Táchira e o departamento colombiano de Norte de Santander, o governo venezuelano também fechou a passagem entre Zulia (Venezuela) e La Guajira (Colômbia), e expulsou milhares de colombianos que moravam na região fronteiriça.

Segundo o Ministério da Defesa colombiano, a informação sobre a violação do espaço aéreo foi transferida à Direção de Soberania da Chancelaria, “a fim de que peçam à Venezuela as explicações pertinentes por esses fatos”, como afirmou o comunicado oficial.  

Opinião. Uma pesquisa publicada ontem apontou que 61% dos venezuelanos são a favor do fechamento da fronteira do país com a Colômbia.

De acordo com a enquete, 36% não concordam com o fechamento e 3% disseram não saber ou não responderam, segundo a Hinterlaces, que fez 1,1 mil entrevistas com adultos de todo o país  entre os dias 31 e 6.

Em uma pesquisa anterior divulgada pela mesma empresa, no mês passado, o apoio popular ao fechamento  era de 59%.

O estado de exceção para restringir os direitos cidadãos e facilitar a identificação de paramilitares e contrabandistas, como medida complementar ao fechamento da fronteira, também tem o apoio majoritário, que passou de 55% para 60% nas duas enquetes da Hinterlaces. / EFE e REUTERS 

Mais conteúdo sobre:
Colômbia Venezuela crise na fronteira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.