Tara Todras-Whitehill / NYT
Tara Todras-Whitehill / NYT

Boicotado, referendo constitucional egípcio tem 98% de aprovação

Segundo o jornal Al-Ahram, 33% dos eleitores votaram a favor da Constituição proposta pelo Exército

O Estado de S. Paulo,

16 de janeiro de 2014 | 10h21

A apuração do referendo constitucional do Egito indica que até agora 98% dos eleitores aprovam a nova Constituição do país, elaborada pelo governo que derrubou o presidente Mohamed Morsi, com apoio do Exército. A Irmandade Muçulmana, grupo político do líder deposto, e outros partidos islamistas, boicotaram a votação. Com isso, apenas 33% dos eleitores, segundo o diário Al-Ahram.

Veja também:
link Veja imagens dos dois dias de votação
link Cronologia: A situação no Egito desde que Morsi assumiu o poder

Segundo a publicação, 17,4 milhões de egípcios participaram do processo, participação de pouco mais de 33%, incluídos os eleitores no exterior, dos quais pouco menos de 10% foram às urnas.

Conseguir uma participação aceitável, que supere pelo menos 33% do anterior referendo constitucional sobre a Carta Magna redigida pelos islamitas em 2012, transformou-se em uma obsessão para as autoridades.

A nova Constituição substitui a aprovada em 2012 por uma maioria islamita, e que foi suspensa pelos militares após o golpe de Estado contra o presidente Mohammed Morsi em julho do ano passado.

O texto rebaixa o tom islamita da anterior Carta Magna e reforça o papel das Forças Armadas, que poderão designar o ministro da Defesa durante os próximos oito anos. / AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.