Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Boicote internacional a governo palestino agrada Israel

Israel anunciou nesta terça-feira, 20, a sua satisfação com a postura do Quarteto de Madri, de manter por enquanto o boicote internacional ao novo governo da Autoridade Nacional Palestina (ANP), liderado pelo movimento islâmico Hamas e com a participação do Fatah."Israel está satisfeito com a postura do Quarteto", disseram fontes do Ministério de Relações Exteriores à rádio pública israelense. Foi uma resposta à decisão tomada na segunda-feira, 19, em conferência por telefone, pelos representantes dos Estados Unidos, União Européia, Rússia e ONU.Além disso, em entrevista coletiva, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, afirmou que manterá o embargo ao governo palestino. O alto representante da UE para Política Externa, Javier Solana, anunciou sua esperança de que, em breve, haja condições para suspender o bloqueio.Rice, Solana, o ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Franz Walter Steinmeier, e a comissária de Relações Exteriores da UE, Benita Ferrero-Waldner, se reuniram em Washington para discutir o novo governo de unidade formado pelos grupos Fatah e Hamas nos territórios palestinos, no fim de semana.Novo governoO novo governo não cumpriu explicitamente as três condições impostas: reconhecer Israel, aceitar os acordos assinados e cessar a violência.Apesar disso, o presidente da ANP, Mahmoud Abbas, afirmou no seu discurso no sábado, no Parlamento, que o novo Executivo trabalhará pela paz. Ele pediu ao Quarteto que suspenda o boicote.O programa do novo governo inclui uma frase explícita na qual reconhece os tratados assinados pela Organização para a Libertação da Palestina (OLP). Abbas considera a postura um reconhecimento de fato de Israel, que também assinou os acordos do processo de paz de Oslo, entre 1993 e 2000.Israel, no entanto, considera que isso não é suficiente e teme que a participação do Fatah e de partidos de esquerda no governo da ANP leve à anulação parcial ou total do boicote, sem o cumprimento das três condições do Quarteto.A conversa por telefone de segunda-feira entre o ministro de Relações Exteriores da Itália, Massimo D´Alema, com o primeiro-ministro palestino, Ismail Haniyeh, e o anúncio da Noruega de que reconhece o novo governo reforçam as preocupações israelenses.As fontes diplomáticas israelenses prevêem que alguns governos abandonem o boicote nas próximas semanas. Mas afirmaram que neste momento "não está se desintegrando a postura internacional contra o governo palestino dirigido pelo Hamas".

Agencia Estado,

20 de março de 2007 | 06h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.