Boicote tenta conter Irmandade Muçulmana

Grupos seculares e liberais do Parlamento egípcio boicotaram votações ontem argumentando que a Irmandade Muçulmana tem ignorado as minorias na composição do grupo de cem membros que participará da elaboração da nova Constituição do país. Na semana passada, o Parlamento decidiu reservar metade dos assentos na comissão a seus representantes. Destas 50 vagas, 37 ficaram com a Irmandade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.