Boko Haram assume sequestro de 276 meninas no interior da Nigéria

Líder de grupo terrorista prometeu vender garotas para líderes tribais do Chade e Camarões

O Estado de S. Paulo,

05 Maio 2014 | 10h16

Mulheres protestam contra sequestro de meninas em Lagos. Foto:  Akintunde Akinleye / Reuters

ABUJA - O grupo radical islâmico Boko Haram declarou nesta segunda-feira, 5, ser o responsável pelo sequestro de 200 alunas de uma escola no vilarejo de Cibok, na Nigéria, no mês passado. O líder do grupo, Abubakar Shekau, disse que venderá as meninas para casar com líderes tribais no Chade e em Camarões.

"Eu sequestrei suas garotas", disse o terrorista em um vídeo publicado na internet. "Por Deus, venderei todas elas no mercado."

Segundo a imprensa nigeriana, algumas das 276 meninas foram vendidas como esposas de líderes tribais do Chade e de Camarões por US$ 12.

Em Abuja, o líder de um protesto contra o sequestro das meninas disse que a primeira-dama do país, Patiene Jonathan, acusou os manifestantes de "inventarem" o sequestro para prejudicar o governo do presidente Goodluck Jonathan.

Segundo Saratu Angus Ndirpaya, a primeira-dama acusou os manifestantes de pertencerem ao Boko Haram e ordenou a prisão de dois deles.  /  AP e EFE

Mais conteúdo sobre:
Nigéria Boko Haram

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.