Boko Haram confirma sequestro de meninas na Nigéria e ameaça vendê-las

O grupo militante islâmico Boko Haram assumiu nesta segunda-feira a autoria do sequestro de mais de 200 meninas no mês passado na localidade de Chibok, no nordeste da Nigéria, e ameaçou "vendê-las no mercado", segundo informou a agência de notícias francesa AFP, citando um vídeo como fonte.

Reuters

05 Maio 2014 | 12h03

"Eu sequestrei as suas meninas. Vou vendê-las no mercado, por Deus", disse no vídeo Abubakar Shekau, líder do Boko Haram, segundo a AFP, que costuma ser o primeiro órgão da mídia a receber os vídeos de Shekau. Não foram dados mais detalhes.

Em 14 de abril, militantes islâmicos invadiram um colégio feminino em Chibok, no Estado de Borno, e colocaram centenas de adolescentes em caminhões, seguindo então em direção a uma área remota na fronteira com Camarões.

Os nigerianos estão acostumados a notícias sobre a violência dos militantes islâmicos no norte do país, mas o caso de Chibok chocou a população do país, o mais populoso da África.

O nome Boko Haram significa "a educação ocidental é pecaminosa", no idioma hausa, e sua atuação é vista como a principal ameaça à segurança da Nigéria, importante país produtor de petróleo.

(Reportagem de Tim Cocks)

Mais conteúdo sobre:
NIGERIA BOKOHARAM SEQUESTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.