Boko Haram cresce e chance de contê-lo é agora, diz autoridade da ONU

O Boko Haram, grupo militante islâmico do oeste da África, está expandindo e há somente uma pequena janela de oportunidade para contê-lo, disse nesta segunda-feira a principal autoridade da Organização das Nações Unidas (ONU) em Camarões.

REUTERS

30 de novembro de 2015 | 19h58

O coordenador residente da ONU em Camarões, Najat Rochdi, afirmou que a estratégia do grupo é demonstrar o seu poder via atentados suicidas a bomba quase que diários, quase sempre com mulheres jovens, enquanto tenta ganhar território.

A ofensiva do grupo está quebrando a economia de Camarões e destruindo uma sociedade frágil, influenciando especialmente os jovens.

"Boko Haram está lhes dando um sentido, porque estão convencendo que é um sacrifício por algo melhor. Então, temos que mostrar que eles não precisam morrer para ter uma vida melhor", declarou Rochdi à Reuters.

Há uma chance para fazer isso em Camarões porque os recrutas do Boko Haram são levados por pobreza e marginalização.

"Se fosse jihadismo, todos sabemos, seria muito difícil competir com Deus. Mas uma vez que é somente ter voz e direitos e oportunidades econômicas e fé num futuro, isso é algo que sabemos como fazer."

O Boko Haram declarou lealdade ao Estado Islâmico em março e aumentou sua campanha de ataques suicidas, mais do que triplicando o número de deslocados em Camarões para 158.000.

(Reportagem de Tom Miles)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUBOKOHARAMAFRICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.