Boko Haram e Nigéria acertam cessar-fogo e libertação de meninas

Boko Haram e Nigéria acertam cessar-fogo e libertação de meninas

Mais de 200 jovens foram sequestradas pelo grupo terrorista há seis meses; Exército nigeriano ordenou que soldados cumpram acordo

O Estado de S. Paulo

17 de outubro de 2014 | 14h11

LAGOS - O Exército da Nigéria e o grupo terrorista Boko Haram acertaram nesta sexta-feira, 17, um cessar-fogo e a imediata libertação das mais de 200 meninas sequestradas há seis meses no povoado de Chibok, anunciou o chefe do Estado-Maior, Alex Badeh.


Embora ainda não tenham sido informados os detalhes do acordo, o Exército já ordenou a todos seus soldados que cumpram com o pacto alcançado em todas as operações que desenvolvam.

O cessar-fogo foi alcançado em uma reunião realizada nesta manhã em N'djamena, a capital do Chade, com a participação do chefe de gabinete da presidência, Hassan Tukur, funcionários do governo do Chade e representantes de Boko Haram, informou Badeh. Além da libertação das meninas, sequestradas em 14 de abril em uma escola de Chibok, no estado de Borno, o objetivo das conversas foi o fim imediato das hostilidades.

O Boko Haram, cujo nome significa em línguas locais "a educação não islâmica é pecado", mantém uma sanguinária campanha na Nigéria que já deixou mais de três mil pessoas mortas neste ano, segundo dados do governo nigeriano. Nos últimos cinco anos, os ataques de grupo terrorista, principalmente contra comunidades do nordeste do país, causaram a morte de 13 mil pessoas, de acordo com o jornal local The Premium Times.

Em setembro, o Exército anunciou pela terceira vez a morte do líder da milícia, Abubakar Shekau, que desmentiu a informação em um vídeo divulgado no dia 2. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Boko HaramNigériacessar-fogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.