AFP
AFP

Boko Haram promete combater força regional e ataca cidades

Grupo terrorista ataca cidade no Níger desde sexta-feira; em Camarões, milícias sequestraram mais de 30 pessoas

O Estado de S. Paulo

09 de fevereiro de 2015 | 12h05

(Atualizada às 16h50) Combatentes do grupo militante nigeriano Boko Haram atacaram uma cidade do Níger na fronteira com a Nigéria pela terceira vez nos últimos dias, informaram moradores. Nesta segunda-feira, 9, milícias extremistas atacaram três cidades da região norte de Camarões, sequestrando mais de 30 pessoas.

De acordo com relatos, o ataque em Camarões começou no domingo, quando militantes se apoderaram de um ônibus com 20 pessoas em Koza e dirigiram de volta para a Nigéria, há cerca de 18 quilômetros. Nesta segunda, outro grupo atacou a cidade camaronesa de Kolofata. A cidade havia sido libertada recentemente do Boko Haram por tropas chadianas, que estão estacionadas na região.

No Níger, a nova investida ocorre no momento em que o Legislativo se prepara para votar um projeto de envio de tropas para uma força regional, com o objetivo de desmobilizar os extremistas.

Pelo menos 10 mil civis foram mortos no último ano em ataques do Boko Haram. O grupo sequestrou mais de 200 meninas que estudavam num colégio interno nigeriano e muitas delas continuam desaparecidas. Os vizinhos da Nigéria, Camarões, Níger, Chade e Benin prometeram enviar ajuda militar. Em resposta, o Boko Haram ameaçou atacar os que auxiliarem no combate ao grupo.

O ataque realizado durante a noite de domingo à cidade de Diffa, no Níger, atingiu uma comunidade que já abriga milhares de refugiados de ações anteriores do grupo extremista. A calma havia retornado ao local na manhã desta segunda, mas esse foi o terceiro ataque desde a sexta-feira 6.

"Disparos e fortes explosões foram ouvidos durante toda a noite até as primeiras horas da manhã", disse Adam Boukar, dono de uma emissora de rádio em Diffa.

Na sexta, quando Diffa foi atacada pela primeira vez, os combatentes do Boko Haram também sitiaram a cidade de Bosso. Na noite de sábado, Diffa foi novamente atacada, com combates que duraram até 5h de domingo.

O combate ao Boko Haram vem tomando uma dimensão cada vez mais regional nos últimos meses. Na última semana, os extremistas realizaram ataques em Camarões e no Níger.

No sábado, autoridades regionais e da União Africana se reuniram na capital de Camarões, Yaoundé, para propor a criação de uma força de 8.700 homens para combater o grupo extremista, com soldados da Nigéria, Chade, Camarões, Níger e Benin.

Autoridades disseram que a nova força pode ser enviada já no início de março, embora questões relacionadas ao financiamento possam adiar o início dos trabalhos. /AP

Tudo o que sabemos sobre:
NígerBoko Haramjihadismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.