Bolinhos chineses exportados para o Japão contaminam dez

Governo de Tóquio afirma que cerca de 500 pessoas podem ter sido contaminadas por guioza

Agência Estado e Associated Press, PEQUIM

02 de fevereiro de 2008 | 08h42

PEQUIM - A agência de segurança de produtos chinesa viu sua credibilidade ameaçada quando japoneses acusaram que bolinhos chineses deixaram todos que os consumiram doentes. A agência, contudo, testou todos os ingredientes e alegou não ter encontrado nenhum dos inseticidas citados pelas autoridades japonesas.

Autoridades japonesas alegaram que os bolinhos da empresa chinesa Tianyang Food Processing Ltd estavam contaminados com methamidophos, que deixou pelo menos dez pessoas doentes. Os especialistas chineses testaram 30 ingredientes de bolinhos da mesma fornada daqueles exportados para o Japão. Esta e outras agências chinesas estão enviando especialistas para o Japão de modo a colaborar com as investigações.

O caso afeta especialmente a China, que já tem um histórico com incidentes envolvendo comida e outros produtos. Com as Olimpíadas de Pequim se aproximando, o governo está tentando assegurar que turistas e atletas estrangeiros estarão a salvo. Contudo, o caso é incomum, uma vez que as únicas empresas que exportam para o Japão são líderes em qualidade e segurança. São inspecionadas regularmente por oficiais japoneses para reforçar os padrões de qualidade japoneses, que estão entre os maisexigentes do mundo.

O governo japonês alega que 10 pessoas ficaram doentes, e que algumas delas estão em estado grave, e que 500 pessoas podem ser afetadas. Nesta sexta, investigadores japoneses encontraram um pequeno buraco numa das embalagens de uma das famílias afetadas, o que sugere um envenenamento proposital. O incidente foi bem divulgado no Japão, pressionando muitas lojas e restaurantes para pararem de usar produtos chineses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.