Bolívia aciona Corte Mundial para reaver acesso ao mar

O governo da Bolívia iniciou um processo contra o vizinho Chile na Corte Internacional de Justiça (CIJ, Corte Mundial) para tentar reaver o acesso ao Oceano Pacífico, perdido após uma guerra no século 19.

AE, Agência Estado

24 de abril de 2013 | 13h26

O governo chileno reagiu imediatamente, afirmando que o assunto não é negociável.

O ministro das Relações Exteriores da Bolívia, David Choquehuanca, iniciou o processo em Haia nesta quarta-feira, depois de mais de dois anos de preparativos. O governo boliviano vinha reunindo argumentos jurídicos, históricos e econômicos para embasar a ação.

A Bolívia perdeu seu acesso ao mar após uma guerra contra o Chile em 1879. Ao todo, a Bolívia perdeu quase 400 quilômetros de litoral e 120 mil quilômetros quadrados de terra.

Durante anos, a Bolívia tentou negociar com o Chile uma saída soberana para o mar, mas Santiago não aceitou. De acordo com o governo chileno, um acordo de paz selado em 1904 estabeleceu as fronteiras entre os dois países. A Bolívia, por sua vez, alega que o tratado foi selado sob pressão chilena. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.