Bolívia busca ajuda da Rússia na luta antidroga

O vice-ministro de Defesa Social da Bolívia, Felipe Cáceres, que comanda no governo de Evo Morales o combate ao narcotráfico, afirmou ontem em uma rádio do país que o "czar" antidrogas da Rússia, Viktor Ivanov, visitará La Paz no próximo mês para firmar acordos para coibir a produção e o contrabando de entorpecentes no país sul-americano.

LA PAZ, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2012 | 03h04

O boliviano explicou à Associated Press que os governos deverão retomar uma negociação para o fornecimento, por Moscou, de cinco helicópteros russos para a Bolívia. Segundo Cáceres, os possíveis acordos nesse sentido ainda preveem que o Kremlin dê um crédito de US$ 300 milhões ao governo de La Paz para a renovação dos equipamentos militares bolivianos. "Se dispuséssemos de ao menos cinco helicópteros e três aviões equipados com radares, estou certo de que encurralaríamos o narcotráfico."

Em 2009, Evo visitou Moscou e assinou com o então presidente da Rússia, Dmitri Medvedev - atual premiê -, uma declaração em que ambos os países se comprometeram a firmar acordos nas áreas militar e energética. Um convênio para o combate ao narcotráfico também foi previsto.

Cáceres afirmou que considera o Brasil o maior parceiro da Bolívia na luta contra as drogas e buscará novos acordos bilaterais para reforçar o combate contra o narcotráfico. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.