Bolívia e Peru criticam compra chilena de aviões F-16

Os presidentes do Peru e da Bolívia disseram que a decisão do governo chileno de comprar 10 caça-combardeiros F-16 americanos contraria os esforços de redução dos gastos militares na região sul-americana. "Lamento que se tenha feito algo enquanto estávamos em conversações sobre este assunto", disse na quarta-feira o presidente peruano Alejandro Toledo, em alusão à sua proposta aos países da Comunidade Andina de Nações (CAN) de frear os gastos militares e destinar maiores recursos à luta contra a pobreza. "É uma decisão que respeitamos mas da qual não compartilhamos", afirmou o presidente boliviano Jorge Quiroga. Ambos participaram da cúpula dos países andinos a que também compareceram o presidente equatoriano Gustavo Noboa, o venezuelano Hugo Chávez e o colombiano Andrés Pastrana. Horas antes, os mandatários firmaram a "Declaração de Santa Cruz", na qual aceitaram um convite de Toledo para realizar em Lima, em abril, uma conferência de chanceleres e ministros da Defesa dos países-membros da CAN dedicada ao debate sobre a redução dos gastos de defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.