Bolívia extradita ex-militar argentino da ditadura

A Bolívia extraditou hoje o ex-militar Luis Enrique Baraldini, procurado por violações de direitos humanos na Argentina, informaram autoridades, depois de anunciarem sua prisão. Baraldini, ligado a crimes cometidos durante a "Guerra Suja" nas décadas de 1970 e 1980, "foi entregue às autoridades argentinas em Bermejo", na fronteira entre os dois países, de acordo com o ministro do interior boliviano, Wilfredo Chávez. Ele falou à France Presse, mas se recusou a dar mais detalhes, mencionando questões de segurança.

AE, Agência Estado

25 de dezembro de 2011 | 18h44

Baraldini foi preço na capital econômica da Bolívia, Santa Cruz, onde supostamente vivia com o nome falso de Marco Antonio Aponte há seis anos. A Argentina ofereceu recompensa de US$ 23 mil por qualquer informação que levasse à prisão de Baraldini.

O Ministério de Justiça e Direitos Humanos da Argentina relacionou Baraldini a violações cometidas sob o comando do general Guillermo Suarez Mason, acusado de ordenar a morte de milhares de dissidentes durante a ditadura militar da Argentina, de 1976 a 1983. Cerca de 30 mil pessoas morreram durante a chamada Guerra Suja, uma campanha brutal da ditadura argentina contra os dissidentes de esquerda, segundo grupos de direitos humanos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.