Bolívia inicia referendo com ambiente relativamente calmo

O referendo boliviano que vai decidir se o presidente Evo Morales continua no cargo começou neste domingo, às 8h, em um clima de relativa calma. A votação foi proposta pelo líder boliviano para solucionar as questões políticas que dividem o país. Se o resultado do referendo for honrado, decidirá se o presidente, seu vice e os principais líderes regionais - a maioria fazendo oposição a Morales - permanecerão ou não nos cargos. O pleito termina às 18h locais, mas não se espera que a Corte Nacional Eleitoral divulgue os resultados oficiais. Pesquisas de boca de urna indicam que Morales e os governadores regionais permanecerão em seus cargos. Pelas regras do referendo, um político pode ser retirado de seu cargo se a votação para que ele saia seja maior que o percentual de votos que o elegeu. Mais de uma centena de observadores internacionais participam do plebiscito. Os problemas políticos da Bolívia envolvem principalmente a propriedade de terras e o gás natural. Quatro províncias têm resistido à insistência de Morales para que o governo central controle os lucros obtidos com energia e decida como distribuí-los. Estas quatro províncias se declararam autônomas este ano, em uma votação simbólica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.