Bolívia pede ajuda para combater incêndio florestal

O governo boliviano aguarda a chegada de equipes da Argentina e as respostas do Brasil, Chile e Peru à solicitação de cooperação urgente para combater um grande incêndio florestal que chegou às portas da cidade de Tarija, no sul do país. O incêndio começou no sábado, a 30 km de Tarija, e avançou rapidamente, com a ajuda do vento, em direção à cidade, até chegar a cerca de 12 km da periferia. Até esta tarde, pelo menos 500 famílias precisaram ser retiradas de suas casas e abrigadas no estádio de futebol da cidade. Tropas militares, da polícia, dos bombeiros e equipes de resgate, além dos agentes comunitários locais, trabalham para impedir a propagação das chamas. O chanceler Carlos Saavedra disse que "a Argentina foi o primeiro país a responder afirmativamente" ao pedido boliviano e que o Peru já manifestou sua disposição de enviar equipes de combate ao fogo, que já devorou mais de 10.000 hectares de florestas e pastagens. Saavedra indicou que as respostas do Chile e do Brasil chegarão nas próximas horas e que todos os governos com os quais entrou em contato, seguindo do presidente Gonzalo Sánchez de Lozada, "sabem da magnitude do desastre".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.