Bolívia quer vender coca para Cuba e Venezuela

O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse que o acordo comercial que deve ser assinado com Venezuela e Cuba no sábado pode incluir a venda da coca boliviana para estes países, de acordo com a imprensa boliviana. A folha de coca pode ser transformada em cocaína, mas também é mascada como um estimulante natural na região dos Andes e tem possíveis usos industriais que Morales declarou desejar explorar. O presidente boliviano disse também que a Venezuela estaria preparada para comprar toda a produção de soja da Bolívia. O acordo comercial deve ser assinado na capital de Cuba, Havana, e representa uma alternativa para os acordos de livre comércio apoiados pelos Estados Unidos. Estados Unidos Na terça-feira, uma alta-funcionária da agência anti-drogas americana, Anne Paterson, disse que um aumento do tráfico de cocaína ameaçaria a democracia boliviana. Ela disse que o país não está destruindo uma quantidade suficiente de plantações de coca. O ministro boliviano encarregado de combater o tráfico de drogas, Felipe Cáceres, disse que o governo vem fazendo o possível para erradicar a produção da coca. Ele rejeitou a idéia de destruição forçada de plantações ilegais, dizendo que a erradicação deve ser acompanhada de um "ataque frontal à pobreza".

Agencia Estado,

26 Abril 2006 | 15h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.