Bolívia usa vela doada pelo Brasil no combate à dengue

O governo da Bolívia iniciou a distribuição de 4 mil velas doadas pelo Brasil com o objetivo de serem usadas como repelente do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Até agora, duas pessoas já morreram no país após contraírem dengue hemorrágica, o tipo mais grave da doença, informou hoje o vice-ministro de Medicina Tradicional, Roberto Suárez. Ele disse também que em outras regiões, serão entregues mais 2 mil velas nos próximos dias, até que o total de 8.400 seja completado.

AE-AP, Agência Estado

29 de março de 2010 | 18h04

A distribuição das velas começou no final de semana na região de Santa Cruz, já que as duas mortes ocorreram nesse departamento (Estado) em fevereiro. O Ministério da Saúde boliviano comunicou que um total de 353 pessoas foram diagnosticadas com dengue do tipo clássico. "A preocupação do Ministério é obter uma solução, começar a criar algo para proteger a população, porque essa doença é muito grave", disse Suárez, segundo a Agência Boliviana de Informação (ABI).

As velas serão entregues a 7 mil famílias que vivem em lugares onde há risco de contágio de dengue. A vela de andiroba foi desenvolvida no Brasil e já se mostrou um repelente eficaz contra o mosquito transmissor da dengue.

A dengue é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypty, que se reproduz durante a temporada de chuvas em climas tropicais. Seus sintomas são febre alta, dor de cabeça e nas costas e erupções cutâneas. Uma segunda picada pode resultar no tipo hemorrágico, que é potencialmente mortal se não for tratada a tempo.

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviadenguevelasdoaçãoBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.