Bolivianos ocupam companhia aérea e fazem reféns

Passageiros estão entre os milhares que pretendiam viajar à Espanha antes de 1 de abril, quando entrou em vigor a exigência de visto, e querem o dinheiro de volta

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h07

Um grupo de cerca de 50 passageiros do Lloyd Aéreo Boliviano (LAB) ocupou na segunda-feira, 18, os escritórios e tomou como reféns alguns empregados da companhia na cidade de Santa Cruz, exigindo a devolução dos bilhetes.Os passageiros estão entre os milhares que pretendiam viajar à Espanha antes de 1 de abril, quando entrou em vigor a exigência de visto para os bolivianos.Os manifestantes surpreenderam os funcionários do LAB pela manhã, e tomaram alguns deles como reféns. Eles pediram aos gritos o dinheiro que a empresa se comprometera a reembolsar, confirmou à Efe uma fonte da companhia aérea.À tarde, uma delegação da Prefeitura de Santa Cruz não conseguiu convencer os passageiros a aceitar uma mediação para conseguir uma solução."Não vamos sair. Que venha a polícia", disse um dos manifestantes, diante das câmeras de televisão.A porta-voz da companhia aérea, na cidade de Cochabamba, confirmou o incidente, mas não soube informar quantos são os ocupantes e os reféns. Ela explicou que a companhia respeitará seu compromisso de devolução do valor reclamado, mas conforme as normas da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata).Segundo a fonte, a empresa tem o interesse de respeitar seu compromisso, mas precisa cumprir um procedimento, e ainda está efetuando gestões para obter os recursos.No início de junho, a Superintendência de Transportes anunciou que tinha autorizado o LAB a retomar suas operações, após apresentar um plano de recuperação. Nesta terça-feira, a empresa anunciou que voltará a operar, mas não marcou uma data.

Mais conteúdo sobre:
BolíviaLABreféns

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.