Bolsas de NY fecham em alta, após sinais de melhora

As bolsas de Nova York fecharam com altas acima de 1% nesta sessão, impulsionadas por dados positivos da economia americana divulgados pela manhã. O índice Dow Jones voltou ao patamar de 17.000 pontos e os índices S&P 500 e Nasdaq fecharam na máxima do dia depois que indicadores apontaram uma retomada na confiança do consumidor americano e no mercado imobiliário.

Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2014 | 19h13

De acordo com o Conference Board, o indicador de confiança do consumidor nos EUA avançou para 94,5 em outubro, de 89,0 em setembro, situando bastante acima da previsão dos analistas, de aumento a 87,9. O mercado imobiliário também deu sinais de fortalecimento, com os preços dos imóveis avançando. O indicador da S&P/Case-Shiller, que mede os preços de moradias nas 20 maiores cidades dos EUA, subiu 5,6% em agosto ante igual mês do ano passado. Além disso, o índice de atividade industrial regional do Fed de Richmond também apontou melhora, ao subir para 20 em outubro, de 14 em setembro, e superar as expectativas dos analistas, que previam queda do indicador a 10.

Os números positivos neutralizaram o impacto da queda de 1,3% vista nas encomendas de bens duráveis nos EUA entre agosto e setembro, contrariando a previsão de aumento de 0,7%.

Nas bolsas de Nova York, o índice Dow Jones fechou em alta de 1,12%, aos 17.005,75 pontos, acompanhado pelo S&P 500, que avançou 1,19%, para 1.985,04 pontos, e pelo índice Nasdaq teve elevação de 1,75%, para 4.564,29 pontos.

O apetite a risco dos investidores ainda foi alimentado pelos balanços divulgados nos últimos dias, que vieram melhores que o previsto. Hoje, as ações da Whirlpool subiram quase 7%, depois que a empresa informou seus resultados trimestrais. Já os papéis do Twitter caíram quase 10%, com o balanço da companhia, divulgado ontem após o encerramento do pregão, decepcionando os investidores.

"As pessoas acordaram para o fato de que talvez o crescimento global não entre em colapso", disse o estrategista da Janney Montgomery Scott, Mark Luschini.

Mas ao mesmo tempo em que buscam oportunidades no mercado acionário, os investidores mantêm as expectativas em torno da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que começou hoje e termina amanhã. Há a expectativa de que a autoridade monetária encerre o programa de compra de ativos, além de dar mais sinais sobre o futuro dos juros no país. (Francine De Lorenzo, com informações da Dow Jones Newswires - francine.delorenzo@estadao.com)

Tudo o que sabemos sobre:
EuaBolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.