DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Bolsonaro diz que vai a Buenos Aires celebrar 30 anos do Mercosul

Presidente terá sua primeira conversa pessoal com Alberto Fernández, em encontro reservado, mais de um ano após posse do argentino

Emilly Behnke, Nicholas Shores e Daniel Galvão, O Estado de S.Paulo

04 de março de 2021 | 22h07

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 4, que deve viajar para Buenos Aires, capital da Argentina, no próximo dia 26. O compromisso no país vizinho ocorrerá em celebração aos 30 anos do Mercosul, bloco formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. Bolsonaro disse que, na viagem, deve ter a primeira conversa com o presidente argentino, Alberto Fernández. O encontro deve ocorrer de forma "reservada" para tratar de interesses dos dois países.

"Vou estar agora, está previsto, dia 26 de março estar em Buenos Aires, nossa querida Argentina, estaremos lá celebrando 30 anos da criação do Mercosul", informou em transmissão ao vivo nas redes sociais nesta noite. No início de fevereiro, após receber o presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, Bolsonaro já havia antecipado que em março os presidentes dos países membros do bloco iriam se encontrar. 

"Será a primeira vez que iremos conversar com o presidente da Argentina, logicamente (caso) ele queira, eu quero. Uma conversa reservada, nós dois num canto e publicamente vamos tratar das questões econômicas dos nossos países", disse. 

Fernández tomou posse em 10 de dezembro de 2019. Bolsonaro não foi à cerimônia, em seu lugar, compareceu o vice-presidente Hamilton Mourão. Na última disputa eleitoral argentina, Bolsonaro apoiou a reeleição do então presidente Mauricio Macri, derrotado no primeiro turno por Fernandéz.

Na live desta quinta-feira, 4, Bolsonaro destacou que a covid-19 "causou dificuldades econômicas em todo o mundo", o que afetou a situação financeira da Argentina.  "Nós torcemos para que a Argentina tenha sucesso nas suas negociações com o FMI (Fundo Monetário Internacional), porque a situação financeira da Argentina está bastante complicada", argumentou. "O êxito econômico de países aqui na América do Sul, entre eles a Argentina, é interessante para todos nós da América do Sul, o Brasil obviamente é um dos grandes interessados".

Israel

Bolsonaro também afirmou que deve acompanhar a partida da comitiva brasileiro para Israel no próximo sábado, 6. O grupo será liderado pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e tem como missão negociar a adesão do Brasil à terceira fase de estudos de um medicamento contra a covid-19. A ideia é assinar um acordo para que o Brasil participe dos testes do spray nasal EXO-CD24.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.