Alan Santos/PR
Alan Santos/PR

Bolsonaro embarca para Israel, com previsão de chegada neste domingo

Presidente viaja a convite do primeiro ministro Benjamin Netanyahu; para assessor, compromisso representa 'novo equilíbrio' para relações com o Oriente Médio

Maria Regina Silva, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2019 | 16h10
Atualizado 30 de março de 2019 | 20h35

O presidente Jair Bolsonaro embarcou há pouco de Brasília para Israel, onde fará visita oficial de quatro dias, informa no Twitter o Palácio do Planalto. A previsão é de que Bolsonaro chegue a Tel-Aviv, às 10 horas deste domingo (horário local, 4 horas de Brasília).

O presidente viaja a convite do primeiro ministro Binyamin Netanyahu. A agenda prevê a expansão de intercâmbio em vários setores como comércio e ciência e tecnologia. Além disso, deverá discutir e assinar acordos em diversas áreas, como defesa, saúde, serviços aéreos e educação.

Ainda amanhã (31), no inicio da noite na hora local (19h15), o presidente deve fazer declaração conjunta à imprensa com Netanyahu, que será seguido por jantar oferecido pelo anfitrião, segundo agenda divulgada pelo Planalto.

Na segunda-feira (1º) pela manhã, Bolsonaro fará visitas à Unidade de Contraterrorismo da Polícia israelense e à Brigada de Busca e Salvamento do Comando da Frente Interna de Israel. Às 11h15, no horário local, participará de cerimônia de condecoração da Brigada de Busca e Salvamento do Comando da Frente Interna de Israel com a Insígnia da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul. Depois, terá almoço privado e, na sequência, à tarde, irá ao Muro das Lamentações.

A agenda do presidente ainda inclui, na terça, às 10 horas (horário local), participação em cerimônia de abertura do encontro empresarial Brasil-Israel, visita à exposição de produtos de empresas de inovação, almoço com empresários e visita ao Yad Vashem, Centro de Memória do Holocausto, entre outros eventos.

Na quarta-feira (3), irá para a cidade de Raanana, onde visitará a comunidade de brasileiros e, em seguida (11h20), seguirá para Tel Aviv onde embarcará para Las Palmas. De lá, está prevista sua saída rumo a Brasília, onde deve chegar às 20h40 de quarta.

'Novo equilíbrio'

Em vídeo postado nas redes sociais, o assessor especial para assuntos internacionais da Presidência, Felipe G. Martins, disse que a viagem de Bolsonaro a Israel terá como mensagem um "novo equilíbrio para o Oriente Médio". "Não é uma tomada de posição pró-Israel e contra os países árabes. É um novo equilibro para o Oriente Médio. Acho que essa vai ser a principal mensagem para o presidente", afirmou Martins, em vídeo postado nas redes sociais da deputada Bia Kicis (PSL-DF) durante o voo.

Oficialmente, a viagem retribui a vinda ao Brasil do primeiro-ministro israelense, que prestigiou Bolsonaro durante a posse, no dia 1º de janeiro. Questionado pela deputada sobre a possibilidade de mudança no eixo de relação com Israel, Martins afirmou que o objetivo é buscar maior equilíbrio nas relações internacionais do País. "E não tomando partido de um lado, como no passado", afirmou. 

A comitiva presidencial é formada pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e pelos senadores Chico Rodrigues (DEM-RR), Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e Soraya Thronicke (PSL-MS), além da deputada federal Bia Kicis.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.