Bomba de urânio coreana preocupa EUA e Rússia

EUA e Rússia manifestaram ontem apreensão com o anúncio de que a Coreia do Norte está no estágio final de seu programa de enriquecimento de urânio. A informação foi divulgada na quinta-feira pela agência de notícias estatal KCNA, que publicou uma carta enviada pela delegação norte-coreana na ONU ao Conselho de Segurança.

AP, WASHINGTON, O Estadao de S.Paulo

05 de setembro de 2009 | 00h00

"Temos realizado com êxito os testes para enriquecer urânio e agora começamos a fase final", diz a carta. "Estamos preparados tanto para o diálogo quanto para as sanções. Mas, se houver sanções antes do diálogo, responderemos fortalecendo nossa capacidade nuclear."

Em visita a Pequim, o enviado especial dos EUA para a Coreia do Norte, Stephen Bosworth, qualificou a notícia de "muito preocupante". "Isso confirma que é necessário manter uma posição coordenada sobre o tema e promover a desnuclearização completa da Península Coreana", afirmou Bosworth, após se reunir com autoridades chinesas.

Na Rússia, o anúncio foi considerado "alarmante". "Essas revelações só podem causar preocupação", disse um funcionário do Ministério de Relações Exteriores russo à agência de notícias estatal Interfax. "Está sendo criado um precedente muito alarmante."

Se completar o processo de enriquecimento de urânio, Pyongyang terá um segundo meio de fabricar armas nucleares - até agora, a Coreia do Norte realizou dois testes com bombas de plutônio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.