Bomba deixa pelo menos cinco mortos no Paquistão

Pelo menos cinco pessoas morreram hoje após uma bomba escondida em uma motocicleta explodir na porta de um famoso santuário sufista do Paquistão durante as orações da manhã. O incidente no templo Farid Shakar Ganj, na província do Punjab, centro do país, é o último de uma série de ataques contra santuários sufistas no Paquistão. Esse grupo religioso é com frequência alvo de agressões por parte de milicianos islamitas, cujas interpretações extremas da religião se chocam com as práticas místicas do sufismo.

AE-AP, Agência Estado

25 de outubro de 2010 | 10h09

Entre as vítimas havia pelo menos uma mulher, disse Maher Aslam Hayat, um alto funcionário do distrito de Pak Pattan, onde fica o santuário. Pelo menos mais 13 pessoas ficaram feridas. O templo atingido é dedicado a um santo do século XII e praticamente não sofreu danos. Dezenas de lojas próximas, porém, foram atingidas.

Este mês houve um ataque no principal templo sufista de Karachi, maior cidade do Paquistão. Pelo menos oito pessoas morreram e 65 se feriram nesse ataque. Outro agressor suicida matou em julho 47 pessoas em Data Darbar, mais venerado templo sufista, na cidade de Lahore.

O governo lançou uma campanha militar contra os extremistas que agem na fronteira com o Afeganistão, uma zona tribal semiautônoma onde muitos declararam guerra ao Estado paquistanês. Mas a violência segue sendo um problema.

Uma bomba explodiu hoje em uma estrada na região tribal de Orakzai. Três pessoas morreram e duas se feriram nesse ataque, disse Aurangzeb Khan, um funcionário local. Enquanto isso, helicópteros do Exército atacaram ontem supostos militantes em seus refúgios em Orakzai, matando 15 pessoas, disse Jehanzeb Khan, outro funcionário local.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãobombasantuáriomortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.