Bomba em ônibus nas Filipinas mata 10 pessoas

Autoridades suspeitam que atentado tenham sido realizado por gangue de muçulmanos radicais

Agência Estado e Associated Press

21 de outubro de 2010 | 10h21

Legistas recuperam cadáveres de dentro do ônibus.

 

MANILA - Ao menos dez pessoas morreram e nove ficaram feridas após uma bomba explodir dentro de um ônibus nas Filipinas nesta quinta-feira, 21. O atentado ocorreu em um ônibus com 50 passageiros na cidade de Matalam, na província de Cotabato do Norte, sul do país, segundo informações da polícia local.

 

Até esta manhã (horário de Brasília), nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado. Autoridades suspeitam que o ataque foi causado por uma gangue ligada a militantes muçulmanos.

 

O presidente Benigno Aquino III condenou o ataque e ordenou que a polícia amplie a segurança contra possíveis alvos de terrorismo na região sul das Filipinas, afetada pela insurgência muçulmana e por crimes de gangues e sequestradores que realizam extorsões frequentes.

 

O porta-voz militar, coronel Randolph Cabangbang, disse que as autoridades suspeitam da gangue Al-Khobar. Segundo o coronel, a empresa de ônibus já havia sofrido com extorsões antes.

 

A gangue Al-Khobar é a mais famosa das que atuam na região, e, segundo autoridades, é formada por criminosos e ex-rebeldes muçulmanos. O grupo é listado como terrorista pelos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasatentadobombaexplosãomortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.