Bomba explode em carro e mata dois na Jordânia

Uma bomba destruiu nesta quinta-feira o carro da esposa de um alto funcionário da brigada antiterrorista da Jordânia, matando duas pessoas que passavam pela rua no momento do acidente, disseram as autoridades."Parece ser uma mensagem ao aparato de segurança jordaniano neste momento crucial", disse uma autoridade do país, referindo-se ao apoio da Jordânia à campanha internacional antiterrorismo liderada pelos Estados Unidos.O Ministério do Interior informou em breve comunicado que está investigando os motivos do ataque. O veículo pertencia a Yasmin Abdul-Latif al-Surabi, esposa do tenente-coronel Ali Burjak, da Unidade Antiterrorista, e estava estacionado perto de sua casa, disse um oficial do governo, que pediu para não ser identificado.As vítimas passavam andando pelo carro quando houve a explosão, às 7h30 da manhã (horário local). Elas foram identificadas como Mohammad Ali Abdul-Kader Shihadeh, um egípcio de 26 anos, e Badr Khader, um iraquiano de 19. Os dois morreram no local.A potente bomba-relógio foi colocada sob a traseira do Toyota vermelho de al-Surabi, que estava estacionado no centro comercial de Jabel Amã. O atentado destruiu o automóvel e danificou outros vinte veículos.O tenente-coronel teve um destacado papel numa investigação que levou à prisão de 28 homens acusados de conspirarem para atacar alvos americanos e israelenses durante a celebração do milênio. O julgamento foi concluído em 2000 com a condenação à morte de seis acusados e a absolvição de outros seis. Os demais receberam sentenças entre sete anos e meio e 15 anos de prisão.São raros ataques a bomba na Jordânia, um país tranquilo com baixo índice de criminalidade. A última explosão do tipo ocorreu em 1998 e foi atribuída a um grupo militante muçulmano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.