Nickee Butlangan/AP
Nickee Butlangan/AP

Bomba explode em igreja nas Filipinas e deixa 11 feridos

Explosivo improvisado estava escondido no teto da capela, que fica dentro de área policial

Efe,

25 de dezembro de 2010 | 02h27

ZAMBOANGA, Filipinas - Pelo menos 11 pessoas ficaram feridas, incluindo uma menina de nove anos, após a explosão de uma bomba em uma igreja no sul das Filipinas neste sábado, 25, durante uma missa de Natal, informaram fontes militares. A bomba explodiu por volta das 7h15 (hora local, 21h15 de sexta no horário de Brasília) no telhado da Igreja Astúrias, no interior do acampamento de mesmo nome, na ilha de Joló, cerca de 980 quilômetros ao sul de Manila.

 

As vítimas apresentaram ferimentos leves e foram transferidas ao Hospital Provincial Integrado, relatou o porta-voz do Comando de Mindanao Ocidental, o tenente-coronel Randolf Cabangbang. O porta-voz da Presidência filipina indicou que a agressão "não tem justificativa política nem religiosa".

 

Já o governador de Sulu, Sakur Tan, repudiou o incidente. "O ataque não faz sentido, é um ato de covardia que nós condenamos com veemência". As forças de segurança abriram uma investigação para encontrar os responsáveis pela explosão, da qual nenhuma das organizações e grupos armados que operam em Mindanao assumiu ainda a autoria.

 

Histórico. Na década passada, a Abu Sayyaf, uma organização islâmica radical ligada à Al Qaeda e que opera em Joló e outras partes do sul das Filipinas, realizou um ataque contra a mesma igreja e sequestrou o sacerdote responsável, o padre Bertelsman, que viria a ser libertado posteriormente.

 

Texto atualizado às 11h.

Tudo o que sabemos sobre:
FilipinasJolobomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.